Official Hige Dandism lota Budokan encerrando a turnê com a chave de ouro

Official Hige Dandism no Budokan – Divulgação

O último show da turnê “SHOCKING NUTS TOUR” da banda japonesa Official Hige Dandism, foi realizado no dia 16 de fevereiro, no Nippon Budokan, em Tóquio.

Comemorando o 10º aniversário da banda, a turnê “SHOCKING NUTS TOUR” realizou 21 shows em nove cidades do Japão, somando cerca de 100 mil pessoas. Somente na última apresentação foram mais de 10 mil pessoas, gerando até uma fila de gente na Kudanshita, estação de metrô mais próxima do Budokan.

Com 15 minutos de atraso, o espetáculo se iniciou com a música “Pretender”, que o vocalista e tecladista da banda, Satoshi Fujihara, cantou com um belo vibrato enquanto o público aplaudia. Na música “Tell Me Baby”, as batidas do bumbo tremeram toda a arena e o Fujihara dançou junto com a plateia e com as mãos erguidas no ar. Ao terminar as primeiras músicas, ele perguntou: “será que o pessoal da região de Osaka conseguiu chegar bem? Soube que o trem-bala acabou parando…”, revelando o motivo do atraso do início do show, comovendo os fãs. Também mencionou sobre a proibição do público gritar (como medida preventiva contra o novo coronavírus). “Acredito que juntos conseguiremos fazer um show muito divertido mesmo sem poder soltar a voz e respeitando as regras”, disse Fujihara, e o público correspondeu com um grande aplauso.

O show seguiu para as músicas “Second LINE”, “Vintage” e “LADY”, quando de repente começou um bloco de revelação de habilidades secretas dos membros da banda. O baixista e saxofonista, Makoto Narazaki, foi ao centro do palco com o seu violão acústico e ao fazer cover da música “One more time, One more chance” do Masayoshi Yamazaki, se apresentou brincando “sou Masayoshi Narazaki, muito prazer”, levando o público a rizada. O Fujihara deu um pequeno spoiler dizendo que “pode haver outras revelações hoje” e prosseguiu com o show.

Depois da nova música “Fusen”, que foi apresentada pela primeira vez no show, “Choral A” e “Yuugure Zoi”, na qual Narazaki trocou o baixo pelo saxofone, Fujihara cantou “Subtitle” sob a luz do holofote. Os fãs ficaram todos de pé, encantados ao ouvirem a música, que se popularizou como o tema do dorama “silent”, alcançando mais de 10 milhões de visualizações e entrando para o ranking da Oricon (empresa de estatísticas e informações sobre música e indústria musical do Japão) por 17 semanas consecutivas.

Na sequência, teve mais um momento de revelação de habilidades secretas. Foi a vez do guitarrista, Daisuke Ozasa, tomar a frente para apresentarem a versão da instrumental da “Canon Rock”, junto com o baterista, Masaki Matsuura, e Narazaki. O público ficou hipnotizado com o rápido dedilhado do Ozasa e com a participação do Fujihara ao final da música.

Em um momento do show, Fujihara relembrou dos 10 anos do HigeDan (como o nome da banda é abreviado). “Temos um carinho especial pelas músicas do nosso início. A próxima música é bem antiga, mas vamos fazer um novo arranjo com os membros da banda”, comentou ao apresentar a música “parade”. Depois emendaram para “115man Kilo no Film”, “Itan na Star” e “Shukumei”, impressionando o público com a habilidade musical da banda.

Ao final do show, Fujihara conversou com o público tocando piano. “A próxima música será a última desta turnê, e possivelmente a última proibida de gritar também”, disse ele. Ao ser questionado “como foi o show respeitando as regras?”, o público respondeu com um forte aplauso.

“O show sem a comunicação (do público) também foi muito divertido, me deu muita energia. Estou muito feliz de ter vivido tudo isso e de podermos seguir para um futuro. Acho que não se limitando só ao período da pandemia, desde sempre ouvimos ‘tem que fazer isso’, ‘é melhor fazer assim’, ‘todo mundo está fazendo desse jeito, por isso você também tem que fazer igual’. Também ouvimos ‘temos que levantar as nossas vozes!’, ‘não podemos nos manter calados, senão até os nossos sonhos serão destruídos!’. Mas eu acho que tem momentos que precisamos ser perseverantes também, porque isso pode nos levar a um futuro mais feliz. Não é todo mundo que consegue falar ‘isso está errado’, ‘tem algo errado’. Acho que todo mundo já viveu bons e maus momentos, às vezes sendo levados pelas circunstâncias da vida”, discursou Fujihara com paixão, emendando com a música “MIXED NUTS”. Ao somar a instrumental da banda e as palmas do público, o clima do show chegou ao pico. Ainda teve a iluminação vibrante e a voz do Fujihara ecoando por toda a parte da arena. O show se encerrou com o aplauso estrondoso do público.

Respondendo às palmas de bis do público, HigeDan voltou ao palco para apresentar a música “Universe”. Os fãs ficaram abismados com os hightones do Fujihara, que mesmo ao final do show não mostrou um pingo de cansaço. Ainda apresentaram “Clap Clap”, que é uma música agitada, e o vocalista seguiu para as palavras de encerramento.

“Andando pelas ruas a noite, via as luzes dos prédios, dos apartamentos, dos carros, das motos… Tudo isso é prova de que tem alguém vivendo ali. Por mais sozinho que eu estivesse, por mais solitário que eu me sentisse enquanto escrevia as músicas, vocês sempre estiveram me iluminando mesmo que de longe. Se eu cheguei até aqui, foi graças a sua luz”, discursou Fujihara, introduzindo a música balada “Hagan”. No meio da música, o público iluminou o palco de todos os lados com as luzes dos seus smartphones, correspondendo ao pedido do Fujihara que disse “tem uma paisagem que eu quero criar com todos vocês”.

A última música do dia foi “White Noise”, a mais nova do HigeDan. Inúmeros pilares de fogo subiram no palco enquanto os quatro tocavam intensamente. Fujihara cantou com os braços estendidos e o show teve seu final espetacular com um esplêndido solo de guitarra de Ozasa.

Crédito das fotos: TAKAHIRO TAKINAMI

Fonte: Natalie.mu

spot_img

Relacionados

Destaques da Redação

spot_img