Na 63ª Convenção de Nikkeis, Renato Ishikawa destaca ‘orgulho das raízes japonesas’

Presidente do Bunkyo, Renato Ishikawa discursou em nome de todos os representantes nikkeis no exterior orgulho das raízes – Divulgação

Em sua palestra  “Comunidade Nikkei: Relacionamento e Protagonismo dos Jovens” na 63ª edição da Convenção de Nikkeis e Japoneses no Exterior, realizada de 16 a 18 de outubro, no Edifício Jica Ichigaya, em Tóquio, o presidente do Bunkyo – Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e de Assistência Social – Renato Ishikawa, destacou o “orgulho das raízes japonesas”. 

Discursando em nome de todos os nikkeis no Exterior, Ishikawa disse que “nós, nikkeis brasileiros, temos orgulho das nossas raízes japonesas”. “Espero que os japoneses também tenham orgulho da comunidade nikkei”, salientou o presidente do Bunkyo, que também pediu uma flexibilização das condições do visto para yonsei (descendentes de japoneses da quarta geração).

Segundo ele, “mais jovens nikkeis que conheçam o Japão serão um trunfo para fortalecer ainda mais a aliança entre o Brasil e o Japão”. Para o presidente do Bunkyo, a existência de brasileiros no Japão “é um canal muito importante para aproximar o Brasil e o Japão”. 

Renato Ishikawa também  relatou sobre as atuais atividades dedicadas à incentivar o relacionamento com as entidades do país (por meio das diretorias regionais) e aproximação com as associações do exterior e destacou a prioridade dada por sua gestão de valorizar o protagonismo dos jovens que participam do Bunkyo e das entidades parceiras.

Promovida pela Associação Kaigai Nikkeijin Kyokai, a 63ª edição da Convenção teve como tema “O avanço da comunidade nikkei – Uma geração com grandes iniciativas” e foi realizada em formato hibrido – presencial (depois de quatro anos) e online. De acordo com os organizadores, 181 pessoas se inscreveram para participar presencialmente representando 17 países e 130 para o formato online. 

Renato Ishikawa com o embaixador do Brasil no Japão

Príncipe – O Brasil foi representado por 65 pessoas, entre eles, três brasileiros selecionados pelo governo japonês para participar do Programa “Próxima Geração de Líderes Nikkeis” do Ministério dos Negócios Estrangeiros do Japão (Mofa): o vereador Rodrigo Goulart (SP), a professora de Manaus, Érika Tomioka e o presidente da Associação Nipo-Brasileira de Goiás (ANBG), Leonardo Massuda.

Considerado o grande encontro dos nipo-descendentes residentes no exterior e no Japão, o evento tem como objetivo incrementar o intercâmbio entre eles, bem como o relacionamento com o Japão.

No primeiro dia da conferência, além de Renato Ishikawa, estiveram presentes o príncipe Akishino, e o presidente da Jica, Akihiko Tanaka, que também deram palestras. Em seu discurso de abertura, o príncipe Akishino disse estar muito esperançoso com o tema adotado pelo evento pelo fato de a geração mais jovem estar a utilizar a tecnologia online para criar novas relações de solidariedade além-fronteiras, a fim de superar as dificuldades causadas pela pandemia do coronavírus. 

“Espero que ocorram discussões animadas que transcendam as diferenças entre regiões, gerações e descendência japonesa e não-japonesa, a fim de promover ainda mais o avanço da comunidade nikkei”, destacou Sua Alteza Imperial.

Já o presidente da Jica falou sobre sobre as comunidades nikkeis em cada um dos países do mundo. Akihiko Tanaka expressou seu respeito pelas contribuições das comunidades nikkeis em cada país para a agricultura, educação, assistência médica, política e negócios e por herdar valores tradicionais japoneses, como “honestidade” e “diligente”, por meio de atividades em atividades das associações. 

Reconexão – Ele também expressou a sua esperança de que as relações entre as comunidades japonesas em cada país que sofreram uma interrupção com a pandemia do coronavírus não só sejam reconectadas, mas que isso seja usado como uma oportunidade para construir novas relações e criar uma nova sociedade. E afirmou que a existência de descendentes de japoneses vivendo no Japão contribuiu muito para a concretização de uma sociedade multicultural no Japão.

No painel sobre “Iniciativas para uma nova geração”, a participação de Patrícia Takehana e a exibição do cartaz do 14º Bunka Matsuri.

Outra palestra tratou sobre o projeto de colaboração com as novas gerações nikkeis, com Masato Seko, diretor do The Nippon Foundation com a participação de sete líderes de diferentes países, entre eles, Claudio Kurita (presidente da Comissão de Administração do Pavilhão Japonês e diretor do Japan House São Paulo).

No dia 17, a Convenção prosseguiu com destaque para três painéis de discussões: “Iniciativas para uma nova geração: novos desafios da comunidade nikkei”, “Esforços e contribuições para realização de uma sociedade de coexistência multicultural” e, encerrando com o tema “Promover a colaboração”.

Declaração conjunta – No primeiro painel, que teve a moderação de Angelo Ishi, jornalista e professor da Universidade Musashi, contou com a participação de quatro painelistas, entre eles, André Nakandakari, jornalista do Diário Brasil Nippou; Patrícia Takehana, presidente da Comissão Bunka Matsuri do Bunkyo e Eric Uramoto, representante da Associação de Pesquisadores Brasileiros no Japão.

No dia 18, no período da manhã, reuniu pronunciamentos (de 5 minutos cada), enfocando diversos temas relacionados à comunidade nikkei e sobre os nikkeis residentes no Japão. Entre eles, destaque para Noritaka Yanao, presidente da Comissão de Relacionamento Internacional do Bunkyo e presidente do Centro Brasileiro de Língua Japonesa que tratou sobre o ensino da língua japonesa no Brasil.

Também, Iju Shimizu Jr., vice-presidente da Comissão Kakehashi Japão-Brasil enfocou as atividades dos grupos nikkeis de escotismo no Brasil.

A 63ª Convenção foi encerrada com a declaração conjunta do encontro.

(Com informações do site do Bunkyo)

spot_img

Relacionados

Destaques da Redação

spot_img