Misteriosa criatura encontrada no mar de Okinawa é, enfim, identificada

Instagram @ryominemizu

Em 2018, um fotógrafo subaquático profissional, Ryo Minemizu, surpreendeu o mundo ao capturar imagens de uma misteriosa criatura flutuante perto de Okinawa, no Japão. Essas imagens intrigaram biólogos e desencadearam uma busca pela identidade desse ser enigmático. Um dos curiosos foi Igor Adameyko, neurobiologista da Universidade Médica de Viena e entusiasta da biologia marinha. Após entrar em contato com Minemizu, ele recebeu um pacote contendo o espécime, não maior que uma ervilha, e iniciou uma investigação que revelaria uma descoberta surpreendente.

Ao analisar cuidadosamente o espécime, Adameyko notou partes externas onduladas que lembravam “cabelos de cobra na cabeça da Górgona”. A princípio, ele pensou que fossem apêndices, mas, olhando mais de perto, percebeu que não se tratava de uma única criatura, mas de muitos organismos individuais, cada um com apenas alguns milímetros de comprimento. Haviam 20 desses nadadores, apelidados de “marinheiros”. O mistério por trás dessa estranha criatura deixou Adameyko perplexo, levando-o a consultar outros especialistas em busca de respostas.

A identidade da bizarra criatura finalmente foi revelada por meio de análises de DNA, que a identificaram como um grupo de vermes parasitas chamados vermes digenéticos. Esses parasitas desenvolveram uma forma única de cooperação, com diferentes partes da colônia cumprindo funções distintas. Enquanto alguns agem como agentes infecciosos, outros se dedicam a mover a colônia pela água, mesmo que isso signifique sacrificar suas próprias oportunidades de reprodução. Essa descoberta oferece uma visão fascinante da biologia desses parasitas e levanta questões sobre seu comportamento e adaptações únicas, que continuarão a ser exploradas pela ciência.

spot_img

Relacionados

Destaques da Redação

spot_img