Kyushu e Okinawa

Okinawa – Divulgação

Na coluna de hoje chegamos ao fim da nossa expedição pela terra do sol nascente trazendo Kyushu (九州), a última das quatro principais ilhas do Japão e o arquipélago de Okinawa (沖縄). A ilha de Kyushu abriga uma diversidade de paisagens, seja por suas montanhas, inclusive com atividade vulcânica ativa, ou pelas fontes termais e planícies férteis, ao longo da costa. Essa região é composta pelas seguintes províncias: Fukuoka, Nagasaki, Saga, Kumamoto, Oita, Miyazaki e Kagoshima. Já Okinawa, região composta por 169 ilhas, é conhecida pelas praias paradisíacas e mar propício ao mergulho, além da culinária e estilo de viva próprios da cultura okinawana. Apesar de próximas, as duas regiões têm características culturais e identitárias distintas, gerando curiosidade aos visitantes e, consequentemente, atraindo turistas do mundo inteiro.

Destacam-se em Kyushu alguns lugares como Fukuoka, considerada a maior cidade da região, e Nagasaki, por sua história entrelaçada com um dos episódios de maior tragédia dos anos modernos, pois foi uma das duas cidades atingidas por um ataque nuclear. Felizmente a cidade se reergueu e hoje traz lugares mundialmente famosos como o Parque da Paz e o Jardim Glover, além da rica gastronomia, como os famosos tempurá, herança da presença portuguesa na região.

Ainda em Kyushu, há lugares que valem a visita, o Castelo de Kumamoto não pode deixar de estar na lista. Além disso, em Beppu, cidade situada na província de Oita, pode-se experenciar as inúmeras fontes termais. E se a vontade é praia, basta seguir mais ao extremo sul do Japão e ir para Okinawa (沖縄), cujas ilhas têm atividades relacionadas à natureza e atividade marinha (mergulho, visita à região das baleias e golfinhos, dentre outras atividades).

Okinawa, antigo Reino Ryukyu foi anexado ao Japão no final do século XIX, por essa razão, sua herança cultural e linguística vai de encontro ao do resto do Japão. A língua de Okinawa, chamada uchinaguchi pelos habitantes das ilhas é tão diferente do japonês padrão que muito se discute se é ou não considerado um idioma distinto. A categorização depende de vários fatores, como linguísticos, históricos, e até considerações sociopolíticas. Por isso, os residentes, nos dias de hoje, não medem esforços para preservar e promover a região, a fim de manter a identidade cultural distinta de Okinawa.

Não podemos esquecer da gastronomia que inclui o famoso gooya (ゴーヤ), um fruto cuja aparência lembra um pepino rugoso, mas o sabor é bem amargo.  E aí, ficou com vontade de conhecer Okinawa? Vamos aprender algumas expressões em uchinaguchi!

spot_img

Relacionados

Destaques da Redação

spot_img