Jica e entidades nikkeis assinam memorando para fortalecer ainda mais as relações Brasil-Japão

A partir da esquerda Cônsul Toru Shimizu, Paulo Saita, Renato Ishikawa, Toshio Ichikawa e Masayuki Eguchi Unidos pelo Futuro – RINA SHIMADA

A Jica (Japan International Agency Cooperation) e três das principais entidades nipo-brasileiras – Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e de Assistência Social (Bunkyo), Federação das Associações de Províncias do Japão no Brasil (Kenren) e Beneficência Nipo-Brasileira de São Paulo (Enkyo) – assinaram, no dia 29 de fevereiro, no Salão Nobre do Bunkyo, em São Paulo, memorando de cooperação com o intuito de revitalizar ainda mais os intercâmbios interpessoais entre a comunidade nikkei e o Japão, “para além das atividades e projetos existentes destinados a apoiar a comunidade e as organizações nikkeis”.

O documento foi assinado pelo representante chefe da Agência Internacional de Cooperação do Japão, Masayuki Eguchi; pelo presidente do Bunkyo, Renato Ishikawa; pelo presidente da Kenren, Toshio Ichikawa; e pelo presidente da Enkyo, Paulo Saita. O cônsul geral do Japão em São Paulo, Toru Shimizu, acompanhou a cerimônia.

O acordo visa promover a compreensão do Japão e popularizar a cultura japonesa no Brasil, bem como fortalecer estrategicamente as relações de cooperação que irão “revigorar” a economia e a sociedade dos japoneses e das comunidades nikkeis.

Unidos pelo Futuro – “Com base neste Memorando, denominamos o nome ao novo programa de intercâmbio de ‘Unidos pelo Futuro’. Neste programa, planejamos envio de delegações de entidades nikkeis ao Japão para visitas e discussões de cooperação, com órgãos do governo central e com os governo das províncias para fortalecer a relação província-mãe e os provincianos do exterior; convite de peritos, empresários e outros do Japão para o Brasil; aquisição e uso de produtos das empresas japonesas por entidades nikkeis para promover sua atividade e promoção de produtos das empresas japonesas e das províncias, e implementação de eventos culturais regionais, cursos e outras atividades para promover a compreensão do Japão e das províncias por entidades nikkeis, no âmbito nacional, bem como a criação e distribuição de conteúdo”, explicou Eguchi, destacando que, além dessas novas iniciativas, a Jica continuará a trabalhar ativamente nas áreas que já vem atuando.

Áreas de atuação – São elas: apoio ao ensino da língua japonesa para as gerações mais jovens e promoção da compreensão do Japão e da comunidade nikkei; apoio ao setor de saúde na assistência social; promoção do aprendizado mútuo dentro da comunidade nikkei e a formação de redes entre os diversos atores, com a inclusão das mulheres nikkeis; promoção da cooperação entre o Museu Histórico da Imigração Japonesa no Brasil e o Museu da Migração Japonesa ao Exterior, bem como com os museus nikkeis em outros países; promoção de pesquisas sobre a história e a situação atual da comunidade nikkei; criação de meios de apoio aos nikkeis que vêm ao Japão para fins de trabalho e na promoção do apoio à comunidade nikkei do Brasil no Japão, entre outros.

Nova fase – Ao concluir sua fala, o representante chefe da agência japonesa disse esperar que “a comunidade nikkei e a Jica trabalhem juntas para criar conexões diversas e multifacetadas entre nikkeis e não-nikkeis e assim aprofundar ainda mais a consciência do Japão e da cultura japonesa na sociedade brasileira”.

“Com a assinatura deste memorando e iniciando uma nova fase de cooperação entre as comunidades nikkeis e o Japão a partir do programa ‘Unidos pelo Futuro’, gostaria de concluir meu discurso desejando, por meio da cooperação bilateral, as economias e sociedades da comunidade nikkei e do Japão continuem a se desenvolver de forma sustentável no futuro para sempre”, finalizou Eguchi.

Subsídios – Presidente da Enkyo, Paulo Saita disse não ter dúvidas que “o memorando de cooperação irá fortalecer o vínculo de parcerias da comunidade nikkei e haverá maior promoção da atratividade do Japão ao Brasil”. Ele expressou sua gratidão não apenas para o representante chefe da Jica Brasil, Masayuki Eguchi, mas também para a diretora Katsura Miyazaki da sede da Jica no Japão, e disse “estar honrado com a assinatura deste acordo”.

Mudança – O presidente do Bunkyo, Renato Ishikawa, também destacou a importância do documento. “Podemos afirmar que este memorando representa uma mudança no nível de relacionamento entre a Jica com as nossas entidades, proporcionando novos – e importantes – programas de apoio mútuo entre a comunidade nipo-brasileira e o Japão, bem como, ampliando as condições de atratividade do Japão no Brasil”, explicou Ishikawa, que pediu aos diretores regionais da entidade – atualmente são 28 – “que participem e, por sua vez, multipliquem este memorando de cooperação, pois ele representa uma oportunidade de promover ainda mais o incremento das associações nipo-brasileiras de todo o país na promoção de suas atividades sociais e culturais”.

E concluiu afirmando que “este programa se constituirá num significativo elemento para promover o ânimo e encorajamento das nossas entidades, tanto no âmbito de suas atividades internas, bem como no relacionamento junto à sociedade local”.

(Aldo Shiguti)

spot_img

Relacionados

Destaques da Redação

spot_img