Haicai Brasileiro – Temas de Junho

Este texto destina-se exclusivamente à edição 127] 

HAICAI BRASILEIRO

O Jornal Nippon Já publica aqui os haicais enviados pelos leitores. Haicai é um tipo de poema que se originou no Japão. Seu maior expoente é Matsuo Bashô (1644-1694). O haicai caracteriza-se por descrever, de forma breve e objetiva, aspectos da natureza (inclusive a humana) ligados à passagem das estações. Hoje, no mundo inteiro, pessoas de todas as idades e formações escrevem haicais em suas línguas, atestando a universalidade dessa forma de expressão.

A seleção é feita pelos haicaístas Edson Iura e Francisco Handa.

Escreva até três haicais de cada tema sugerido (o tema deverá constar do haicai), identificando-os com seu nome (mesmo quando preferir usar pseudônimo) e endereço. Cada pessoa pode participar com apenas uma identidade.

Os trabalhos devem ser enviados exclusivamente para o e-mail ashiguti@uol.com.br, com o assunto: “Haicai Brasileiro”.

TEMAS DE JUNHO

Coruja – Ipê-roxo – Quadrilha

descansar dos olhos –

na calçada da alameda

flores de ipê-roxo

Carla de Faria

Rio de Janeiro, RJ

Quadrilha da escola

ensaiando todo dia –

Recreio forçado

Cida Buongermino

Santos, SP

O pio da coruja

faz-me ficar bem alerta –

Passeio no sítio.

Cristiane Cardoso

São Paulo, SP

dança com seu par

o menino envergonhado –

quadrilha na escola

Daniel Morine

Santos, SP

As flores do ipê-roxo

tingem a calçada de pedra –

Caminhada cedo

Fernando Bunga

Uíge, Angola

Na nova casa

coruja-buraqueira

faz sofá de poleiro.

Hoshin Banana

São Paulo, SP

Na rua ao lado

ipê-roxo floresce –

Saudade de quem partiu.

Jaíra Presa

Santos, SP

escola do bairro

mas que surpresa gostosa

o som da quadrilha!

José Marins

Curitiba, PR

flores do ipê-roxo

sombreiam as sepulturas –

no fim da manhã

Jurema Rangel

Rio de Janeiro, RJ

na planície

coruja buraqueira –

observa o céu.

Lucas Rodrigues do Carmo

Cariacica, ES

Olhos negros

Me vigiam à noite

Coruja na árvore.

Luiz Francisco Bosquiero

Santa Bárbara D’Oeste, SP

balançam as saias

o sanfoneiro que toca

quadrilha junina

Marilia Tresca

São Paulo, SP

“quadrilha junina”

gritam os convidados –

viva aos noivos!

Marisa di Giaimo

Caraguatatuba, SP

olha a chuva –

já passou na quadrilha

trova marcador

Mary Jun

Guarulhos, SP

Na boca da noite

as conversas no quintal.

Casal de corujas.

Matsuki Pichorim

S. José dos Pinhais, PR

Em meio ao concreto,

os ipês-roxos do bairro,

aqui e acolá.

Reneu Berni

Goiânia, GO

Ipê-roxo vivo

Resiste ao fogaréu

As flores também

Stephan Hupfeld

São Paulo, SP

Na noite escura –

Quebrando o silêncio

o pio da coruja.

Valmir Jordão

Recife, PE

Temas de julho (postar até 10 de junho)

Vento cortante – Suinã – Tosse

Temas de agosto (postar até 10 de julho)

Cascata seca – Azaleia – Cachecol

[Este texto destina-se exclusivamente à edição 0127].

Haicai Brasileiro

Edson Iura

Cachecol (tema de agosto)

Longa e estreita faixa de tecido enrolada ao redor do pescoço, o cachecol contribui para aumentar o conforto térmico de uma região de pele extremamente sensível às baixas temperaturas. Pode ser feito de lã natural, caxemira, algodão, fibras sintéticas e até seda, lembrando que os tecidos vendidos como “lã” são, em sua maioria, de fibra acrílica. A estola e a echarpe são variações do cachecol, maiores em largura e comprimento, capazes de se desdobrar para cobrir os ombros. É comum vermos fotos de homens e mulheres nos EUA e Europa usando cachecóis durante os dias de frio. Como o inverno brasileiro é ameno, estilo é a grande justificativa para o uso dessa peça entre nós. O cachecol é um importante acessório de moda, usado para adicionar cor, textura e interesse. Ele ajuda a compor um visual mais completo e sofisticado, podendo adicionar elegância e personalidade a um conjunto de roupas.

Tiro o cachecol.
Intromete-se no quarto
a corrente de ar.
Seishi Ôkuma

Vem de cachecol.
Bem-aventurado seja
o padre que chega!
Makoto Niitsu

spot_img

Relacionados

Destaques da Redação

spot_img