Técnica de embrulho milenar, furoshiki ensina muito sobre como ser sustentável nos dias atuais

Furoshiki

Tradição e sustentabilidade se misturam quando se pensa em Furoshiki hoje em dia. Uma técnica japonesa milenar para embrulhar e transportar objetos, ganha um novo significado ao ser trazida aos dias atuais.

Num mundo em que a técnica traz sofisticação, além de uma alternativa de transportar e até presentar as pessoas, o Furoshiki  tem ganhado adeptos em todo planeta.

Mas o que significa Furoshiki?

A palavra Furoshiki  (風呂敷) é a combinação das palavras Furo (風呂) de Banho e  Shiki (敷) e espalhar. Para entender seu significa, temos que lembrar de sua origem, sendo que ela surgiu numa época em que banhos públicos (Ofurô) se tornaram populares na Era Muromachi (entre 1336 d.C. a 1573 d.C.). Membros da sociedade embrulhavam suas roupas com tecidos com brasões das suas famílias e essa prática se tornou conhecida com o termo Furoshiki. Os tempos mudaram e o termo se desvencilhou do seu sentido original que era embrulhar as roupas na hora do banho, ganhando outras funções também.

Mas se engana que a prática surgiu daí, porque o ato de embrulhar roupas surgiu muito antes, tendo registros no período Heian (794 d.C. a 1185 d.C.). Naquela época, os tecidos para embrulhar as roupas tinham o nome de Hiratsusumi (平裏/平包), que podia ser traduzido como “embrulhado plano”. Sendo séculos mais tarde, que a prática foi renomeada para Furoshiki, como conhecemos.

Como podemos definir Furoshiki?

O Furoshiki pode ser feito com diferentes tecidos, podendo ser feito de algodão, seda ou qualquer tecido que seja durável. Além disso, ele também não tem um tamanho e nem um formato, mesmo que geralmente tenha a forma quadrada. 

Tendo diferentes padrões e desenhos, o tecido utilizado para o Furoshiki pode e deve ser considerado uma forma de arte. Envolvendo presentes, carregando objetos, servindo também para transportar compras, o Furoshiki é multi-uso, servindo até mesmo como uma bolsa improvisada. 

Sua técnica depende de dobrar e amarrar o tecido dependendo de qual objetivo e objeto que está sendo embrulhado. O que não falta são técnicas para utilizar o Furoshiki da forma que mais encaixa a sua necessidade.

O dia do Furoshiki

A técnica ganhou um dia em 2000, quando foi registrado que o dia 23 de fevereiro seria o Dia do Furoshiki, pela Associação Japonesa de Furoshiki (日本風呂敷連合会). A data tem todo um significado especial por vir da palavra tsutsumi (ato de embalar) que se transformou nos números que compõem a data: 2 (二 tsu), 2 (二tsu), 3 (三 mi).

O Furoshiki e o sustentável

Criado há tantos séculos, quem diria que a técnica seria redescoberta e valorizada globalmente. Substituindo embrulhos, sacolas plásticas, além de trazendo sofisticação ao evocar uma tradição japonesa, Furoshiki se tornou uma prática sustentável.

Sua história e seu legado na história japonesa são fundamentais hoje na escolha de tornar as pessoas mais conscientes e sustentáveis.

Num momento em que se busca soluções ecológicas, garantindo a preservação, principalmente na valorização dos recursos naturais, o Furoshiki ganha a mesma importância que evitar o desperdício de água, a reciclagem, entre tantas outras práticas.

Valorizando o meio ambiente, a prática do Furoshiki, demonstra consciência do usuário em optar carregar o que desejar, sem trazer nenhuma consequência por sua escolha.

spot_img

Relacionados

Destaques da Redação

spot_img