Festival VIVA! Japão celebra os 116 anos da imigração japonesa

Cerimônia de abertura do Festival VIVA! Japão no MI – Gregory Grigoragi

O Museu da Imigração (MI), instituição da Secretaria da Cultura, Economia e Indústria Criativas do Estado de São Paulo, realizou, nos dias 29 e 30 de junho, a segunda edição do festival VIVA! Japão. O evento contou com apoio da Secretaria Municipal de Turismo de São Paulo, apoio institucional da Fundação Japão e curadoria cultural da Tasa Eventos.

Na abertura, estiveram presentes a Diretora Executiva do Museu da Imigração do Estado de São Paulo, Alessandra Almeida; a Vice-Cônsul no Consulado Geral do Japão em São Paulo, Yuka Nogami; a Coordenadora da Unidade de Preservação do Patrimônio Museológico (representando a secretária de Cultura e Economia Criativas do Estado de São Paulo, Marília Marton), Karina Santiago; a membro do Conselho Administrativo do Instituto de Preservação e Difusão da História do Café e da Imigração e ceramista, Hideko Honma; o Diretor Geral da Fundação Japão de São Paulo, Daigo Tamura; o vereador Aurélio Nomura e o CEO da Tasa Eventos e curador do VIVA! Japão, Sergio Takao Sato.

Alessandra Almeida destacou a contribuição dos japoneses para o desenvolvimento do Estado de São Paulo e para o Brasil e que “continua fazendo com que muitos de seus hábitos e seus costumes sejam cada vez mais enraizados na identidade brasileira”.

Para a vice-cônsul Yuka Nogami, “participar do Festival VIVA! Japão neste lugar que conta a história da imigração no Brasil é muito especial, pois este local foi a primeira casa de muitos imigrantes que chegaram do Japão ao país, há 116 anos atrás”

Já Karina Santiago explicou que “os equipamentos públicos do Estado são preparados para vocês”. “Tudo isso só faz sentido se a população fizer o uso desses equipamentos”, disse.

Ao Nippon Já, Takao Sato disse que “é muito gratificante para mim poder organizar no mesmo local onde funciona hoje o Museu da Imigração do Estado de São Paulo e que no passado foi a hospedaria do Brás por onde os primeiros imigrantes chegaram ao Brasil – algo em torno de 80 mil desses imigrantes japoneses passaram por essa hospedaria – onde fizeram toda a documentação de chegada ao Brasil e ficaram em média aí uma semana antes de trabalhar nos cafezais no interior de São Paulo”.

“Fazer um evento no mesmo local tão icônico para os imigrantes e poder prestar homenagem a esses imigrantes num lugar mágico que é o Museu da Imigração é muito emocionante para mim”, concluiu o CEO da Tasa Eventos.

Atrações – Durante dois dias, o jardim do MI recebeu apresentações de dança, música e performance, além de apresentações de taikô e concurso de Cosplay, além de gastronomia e oficinas culturais, como a de Chawan. Um dos destaques da edição foi a presença da conceituada diretora de cinema Tizuka Yamasaki que participou de um debate sobre o documentário “Tomie”.

(Aldo Shiguti)

spot_img

Relacionados

Destaques da Redação

spot_img