Embaixador do Japão participa do encerramento das celebrações dos 115 anos em Santos

Embaixador do Japão, Teiji Hayashi, prefeito e vice-prefeita de Santos, vereador Paulo Miyashiro e representantes de associações – Aldo Shiguti

Santos, na baixada santista, que em 18 de junho de 1908 recebeu o navio Kasato Maru, trazendo a bordo os 781 primeiros imigrantes japoneses, encerrou oficialmente as comemorações pelos 115 anos da imigração japonesa na cidade. Organizado pela Prefeitura de Santos, a solenidade foi realizada no dia 23 de novembro, no novo Quebra-Mar (praia José Menino), e contou com a presença do prefeito e da vice-prefeita de Santos, respectivamente, Rogério Santos e Renata Brava; do embaixador do Japão no Brasil, Teiji Hayashi; do presidente da Associação Okinawa de Santos, Osvaldo Teruya; do vice-presidente da Associação Japonesa de Santos; Carlos Chinen; do vereador de Santos, Paulo Miyashiro; e do vice-presidente do Bunkyo – Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e de Assistência Social – Roberto Yoshihiro Nishio (representando o presidente da entidade, Renato Ishikawa). Estiveram presentes ainda o cônsul para Assuntos Gerais e Políticos do Consulado Geral do Japão em São Paulo, Hiroyuki Ide, o vice-presidente da Kenren (Federação das Associações de Províncias do Japão no Brasil), José Taniguti, e os ex-jogadores Lima e Edu, que fizeram história com a camisa do Santos Futebol Clube.

O evento contou com a apresentação musical do grupo Minyou Aikousha, da Associação Okinawa Kenjin Kai de Santos, e também de  atletas de karatê da Academia Shorin-Ryu Karate-do & Kobudo – Shinshukan.

Autoridades perfiladas durante as execuções dos hinos nacionais do Japão, do Brasil e de Santos

Aplicativo 3D – As comemorações em Santos começaram em março, com a inauguração da Praça das Gerações, no Novo Quebra-Mar, espaço que já contava com o monumento aos imigrantes japoneses e passou também a abrigar o monumento 18 de junho, a pedra com o nome dos passageiros do Kasato Maru.

Em junho, a cidade celebrou oficialmente os 115 anos da imigração japonesa, com a mostra da Fundação Arquivo e Memória de Santos, que retratou a viagem centenária dos 781 japoneses que chegaram ao Porto de Santos após 50 dias no mar e com o lançamento do aplicativo de realidade aumentada, que reproduz o famoso navio em 3D.

Cidades-irmãs – Em seu discurso, Osvaldo Teruya disse que a produção de café e o movimento do porto de Santos chamaram a atenção de Ryo Mizuno, “o pai da imigração japonesa”, enquanto Paulo Miyashiro explicou que a cidade praiana possui acordo de cooperação e irmandade com as cidades japonesas de Shimonoseki, na província de Yamaguchi, e Nagasaki (Nagasaki).

Já o prefeito Rogério Santos destacou a importância da data e a contribuição dos japoneses para o desenvolvimento do município. “Hoje é um dia especial e uma data importante para Santos. É momento de preservar essa memória, pensar no futuro da nossa cidade e agradecer tudo o que recebemos dessa cultura”, afirmou, explicando que a influência da cultura japonesa em Santos pode ser constatada através da quantidade de monumentos no novo Quebra-Mar.

Monumentos – Em março, dando início às comemorações dos 115 Anos da Imigração Japonesa, o prefeito inaugurou a Praça das Gerações e o Jardim Japonês, no Parque Municipal Mário Roberto Santini, na praia José Menino, em cerimônia que contou com a presença do então cônsul geral do do Japão em São Paulo, Ryosuke Kuwana. 

Com 900 m2, a Praça das Gerações é composta por um núcleo central em piso de mosaico português nas cores branca e vermelha, reproduzindo as da bandeira japonesa, e quatro arcos dotados de lanternas de pedra modelo shimen shinto, que identificam as quatro gerações de japoneses no Brasil – nissei, sansei, yonsei e gossei. Nele encontra-se também uma escultura representativa do Armazém XIV do Porto de Santos.

No jardim estão o ‘Monumento Memorial de Desembarque dos Imigrantes Japoneses no Brasil’ e a pedra com a inscrição ‘A esta terra’. Esse conjunto escultórico datado de 1998, de autoria da artista plástica Cláudia Fernandes, é composto por pedestal com dedicatória ao Brasil, sobre o qual estão três estátuas representando uma família de imigrantes japoneses, com roupas do início do século 20 – com o braço estendido, o homem parece indicar à mulher e ao filho as terras brasileiras. Uma pedra cortada e polida, com a inscrição ‘A esta terra’ em baixo-relevo, completa o monumento.

No local, destaca-se ainda o monumento ‘18 de Junho’, que se encontrava no porto. Trata-se de monólito onde está afixada uma placa com a relação dos nomes das famílias dos 781 passageiros japoneses do Kasato Maru. Uma escultura da artista plástica Tomie Ohtake, inaugurada no Centenário da Imigração Japonesa, completa a homenagem de Santos à imigração japonesa no parque.

Monumento com os nomes das 781 famílias pioneiras

Bonde – “São símbolos permanentes da cultura japonesa na nossa cidade. Além disso, temos vários festivais que são realizados ao longo do ano aqui na cidade de Santos com várias atividades culturais e a gastronomia japonesa. O que o poder público pode e deve fazer é preservar essa memória, pensar no futuro da nossa cidade e agradecer tudo aquilo que o Japão nos deu”, disse o prefeito, que destacou ainda a doação de um bonde elétrico pela prefeitura de Nagasaki à cidade de Santos, em 2014.

Projetos – Ao Nippon Já, o prefeito destacou a importância da presença do embaixador do Japão na cerimônia e prometeu fortalecer os laços com o Japão. “A vinda do embaixador para nós foi uma grande honra e já estamos discutindo a ampliação de projetos culturais da prefeitura de Santos com as entidades japonesas aqui da cidade para que a gente possa proporcionar acesso ao conhecimento da língua japonesa, às artes da dança, da música e às artes marciais e ao esporte em geral para que a gente cada vez mais apresente a cultura japonesa a toda a população santista”, explicou Rogério Santos.

Escultura – Pela primeira vez na cidade de Santos, o embaixador do Japão manifestou sua emoção ao ver, de perto, o monumento da artista plástica Tomie Ohtake que até então só conhecia através de uma maquete em sua residência oficial. A escultura, de aço e que mede 15 m de altura, é uma homenagem ao centenário da imigração japonesa no Brasil e foi inaugurada em 2008 pelo então príncipe herdeiro e hoje Imperador do Japão, Sua Alteza Imperial Naruhito. 

Embaixador diante da escultura da artista Tomie Ohtake

Isenção de visto – Segundo o embaixador, Santos “desempenha papel singular na história dessa imigração japonesa”. “Lembro que em março deste ano enviei uma mensagem de vídeo para o início das comemorações aqui, mas hoje fico muito feliz em estar presente neste ato de encerramento”, disse o embaixador, que parabenizou a cidade pela realização de diversos eventos comemorativos que contribuíram para disseminar a história dos 115 anos da imigração japonesa.

Para Teiji Hayashi, “é momento de refletir sobre esta longa história da imigração japonesa que teve início precisamente nesta cidade portuária”. E destacou ainda que a partir do dia 30 de setembro deste ano o Japão iniciou a medida de isenção de visto para cidadãos brasileiros, portadores de passaporte comum eletrônico, que tenham por finalidade atividades de curta duração e que não seja superior a 90 dias, a partir do momento da entrada no país. 

Ele lembrou que, desde sua chegada ao Brasil, em dezembro de 2021, se empenhou pessoalmente para que a medida fosse concretizada. “Desde que entrou em vigor, muitos brasileiros já visitaram o Japão como turistas e como estudantes”, disse o embaixador, que foi presenteado pelo prefeito com uma réplica do bonde de Nagasaki, que foi restaurado e que faz parte do acervo de bondes de Santos.

Passaporte – Os ex-jogadores do Santos, Edu e Lima, também deram ao embaixador uma camisa especial do time feita para os festejos da chegada da colônia japonesa ao Brasil. O diplomata e o chefe do Executivo santista ainda receberam das mãos de Mauricio Uehara uma cópia do passaporte de seu avô, Naomatsu Uehara, que desembarcou no porto de Santos em 1908 no Kasato Maru.

O embaixador do Japão e convidados participaram de um almoço com o prefeito no Palácio José Bonifácio, sede da Prefeitura de Santos, e encerrou sua passagem por Santos com uma visita à Associação Japonesa de Santos, onde foi recepcionado pelo presidente Sadao Nakai.

Inauguração da Praça das Gerações, em março, marcou início das comemorações em Santos – Arquivo Aldo Shiguti

(Aldo Shiguti)

spot_img

Relacionados

Destaques da Redação

spot_img