Em Missão Oficial à Ásia, Nishimori destaca ‘importantes conquistas’

Com o objetivo de captar investimentos estrangeiros de fundos internacionais para a ampliação de projetos de sustentabilidade da agropecuária brasileira, a missão do Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa) se reuniu na semana passada com representantes de empresas japonesas de diversos segmentos para apresentar as possibilidades da agropecuária brasileira que contribuem para reduzir a emissão de carbono no planeta e a segurança alimentar no mundo.

Uma delas está relacionada à energia renovável. O ministro da Agricultura e Pecuária, Carlos Fávaro, se reuniu com o vice-presidente do Conselho de Administração da Toyota, Shigeru Hayakawa, e lembrou que foi no governo do presidente Lula que ocorreu o lançamento do carro flex no Brasil e, desde então, seus mandatos têm uma política de estímulo ao uso do combustível.

“Temos história e tecnologia. Temos um enorme potencial para a produção de etanol, seja a partir da cana ou do milho, com a agropecuária brasileira trabalhando em prol de uma energia mais limpa e renovável, sem queima de carvão. O Brasil vai fortalecer e avançar na rota do etanol como combustível veicular”, destacou o ministro.

Da mesma forma, Hayakawa ressaltou a importância do etanol para a estratégia de carbono neutro da empresa que busca cooperar na redução das emissões de gás carbônico (CO2) e, para isso, conta com o apoio do Brasil.

Diretor-presidente e CEO da Sumitomo – companhia presente em 66 países e regiões -, Masayuki Hyodo destacou a importância das relações com o Brasil para as ações estratégicas da empresa, que tem histórico de atuação com a Agroamazônia.

O deputado federal Luiz Nishimori em missão oficial à Ásia Temos um potencial fantástico

Novos mercados – No encontro com o ministro Carlos Fávaro, foi tratada a abertura de novos mercados entre Brasil e Japão e também apresentada a possibilidade de a companhia investir na recuperação de pastagens de baixa produtividade no Brasil, permitindo a melhoria do solo e ganho de produtividade na produção de alimentos, com sequestro de carbono.

Vocação – Para o deputado Luiz Nishimori (PSD-PR), que acompanhou a missão do Mapa, “o Brasil tem vocação e um potencial fantástico de produção, tanto agrícola, quanto na pecuária”. Segundo o parlamentar, que há mais de 4 anos tem se dedicado neste trabalho de exportar proteínas brasileiras para o mercado asiático, “produzimos produtos de alta qualidade, que são reconhecidos mundialmente”. “Desta vez estamos em conjunto com o Ministério de Agricultura, entidades e empresas do agronegócio brasileiro, e tenho a certeza de que teremos boas notícias em breve”, destacou Nishmori.

Ao Nippon Já, Luiz Nishimori disse que “a missão oficial do Mapa aos países asiáticos, com certeza trará bons negócios para o Brasil”. “O principal objetivo foi levar nossas proteínas suínas e bovinas para o mercado asiático. Tivemos importantes reuniões e audiências com autoridades dos países  e representantes  de empresas e associações  que representam o segmento no Brasil”, destacou o parlamentar, que retonou neste quarta-feira (2).

Jica– Parceira histórica da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), a Agência de Cooperação Internacional do Japão (Jica) confirmou o desenvolvimento de mais um projeto em conjunto com o Brasil após reunião do ministro da Agricultura e Pecuária, Carlos Fávaro, em sua sede, em Tóquio. 

Um dos principais projetos do Mapa para a intensificação da produção de alimentos de forma sustentável é a recuperação de pastagens de baixa produtividade, que pode dobrar a área de plantio do país. “A Jica vai trabalhar junto com o Mapa, com o governo do presidente Lula, para reestruturarmos a conversão de pastagens em áreas produtivas”, declarou o ministro Carlos Fávaro após o encontro realizado no dia 28.  

Uma comissão da Jica virá ao Brasil em agosto para se reunir com representantes do Banco do Brasil, Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e Embrapa para estruturar o projeto de sustentabilidade que pode recuperar até 40 milhões hectares de pastagens de baixa produtividade e com alta aptidão para a agricultura. 

Gripe Aviária – Carlos Fávaro também se reuniu com os ministros da Agricultura, Florestas e Pesca, Tetsuro Nomura, e da Saúde, Trabalho e Bem Estar, Katsunobu Katō, em Tóquio, para tratar especialmente sobre o protocolo de Influenza Aviária de Alta Patogenicidade (IAAP) para as exportações de produto para o país.

(Aldo Shiguti, com informações do MAPA)

spot_img

Relacionados

Destaques da Redação

spot_img