Em evento no Bunkyo, comunidade se solidariza às vítimas do terremoto de Ishikawa

Autoridades, convidados e representantes de associações participantes durante brinde na Celebração de Ano Novo – Aldo Shiguti

Realizado no último dia 20, no Salão Nobre do Bunkyo, pelas cinco principais entidades da comunidade nipo-brasileira – Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e de Assistência Social, Beneficência Nipo-Brasileira de São Paulo, Federação das Associações de Províncias do Japão no Brasil, Câmara de Comércio e Indústria Japonesa do Brasil e Aliança Cultural Brasil-Japão – e pelo Consulado Geral do Japão em São Paulo, a Cerimônia de Celebração de Ano Novo apresentou uma novidade.

A programação deste ano ofereceu oportunidade para que o público em geral pudesse conhecer um pouco mais sobre as manifestações tradicionais que acontecem nesta data no Japão com a realização, nos dias 20 e 21, no Espaço Cultural do Bunkyo, do evento “As Artes de Ano Novo no Japão”.

Como lembrou em seu discurso o presidente do Conselho Deliberativo do Bunkyo, Jorge Yamashita, As Artes de Ano Novo no Japão teve como objetivo “mostrar a importância que o povo japonês sempre deu à Comemoração do Ano Novo, quando se renova o espírito e a disposição para a realização de suas metas para os novos 365 dias de sua vida”.

Com organização da Associação Ikebana do Brasil, Centro de Chado Urasenke do Brasil, Associação Aikoukai de Caligrafia do Brasil e as Comissões de Gastronomia Japonesa e de Arte Koguei do Bunkyo, “As Artes de Ano Novo no Japão”, reuniu tradições como o Hatsudate (Primeira Cerimônia de Chá do Ano), Hatsuike (Primeiro Arranjo de Ikebana do Ano) e o Kakizone (Primeira Caligrafia do Ano), além de gastronomia e cerâmica.

Já a Cerimônia de Ano Novo das cinco entidades contou com a participação do Coral Feminino do Bunkyo, sob regência do maestro Teruo Yoshida, que interpretou os hinos nacionais do Japão e do Brasil, e almoço (o tradicional osechi ryori) servido pela chef Telma Shiraishi.

Antes das saudações, foi feito um minuto de silêncio em memória às vítimas do terremoto de Ishikawa.

Jorge Yamashita também iniciou sua fala manifestando condolências e apoio às vítimas do terremoto ocorrido no dia 1º de janeiro na província de Ishikawa e desejou pronta reconstrução da região e breve retomada das atividades.

Ele lembrou que este ano será “bastante movimentado para todos os setores da sociedade brasileira em virtudes das eleições municipais que, segundo Yamashita, “nos enchem de expectativas para garantir a escolha dos melhores candidatos a prefeito e vereadores”.

Já no âmbito da comunidade nipo-brasileira, destacou a série de eventos comemorativos aos 70 anos de construção do Pavilhão Japonês, “monumento símbolo da amizade entre o Brasil e o Japão”. “Juntamente com essa comemoração, desejamos iniciar desde já os preparativos para celebrar, no próximo ano, os 130 Anos do Tratado de Amizade, Comércio e Navegação Brasil-Japão”, destacou, explicando que, em 2025, “o próprio Bunkyo completará 70 anos e pretendemos iniciar a restauração da fachada do edifício-sede como um dos itens dessa comemoração”.

Representando o cônsul geral do Japão, Toru Shimizu, a cônsul adjunta Chiho Komuro, também prestou solidariedade às vítimas do terremoto de Ishikawa e agradeceu a ajuda da comunidade nipo-brasileira. Ela também lembrou que este ano o Brasil sediará pela primeira vez a cúpula de chefes de Estado e governo do G20 e que em 2025 receberá a 30ª Conferência da ONU sobre Mudanças Climáticas (COP30), além das comemorações dos 130 Anos do Tratado de Amizade, Comércio e Navegação Brasil-Japão.

Segundo ela, será um período de intenso trabalho e que certamente servirá para fortalecer as relações entre o Brasil e o Japão, relação que deve ser impulsionada ainda mais com a isenção de visto de curta permanência, que entrou em vigor em 30 de setembro do ano passado, e a flexibilização de requisitos para os yonseis (descendentes de japoneses da quarta geração).

Finalizando, o presidente do Kenren, Toshio Ichikawa comandou um banzai “diferente” (pediu para que todos fechassem os olhos e mentalizassem um pedido), enquanto o presidente da Enkyo, Paulo Saita, fez o Kanpai.

Celebração de Ano Novo não pode faltar ozoni sorte em 2024

(Aldo Shiguti)

spot_img

Relacionados

Destaques da Redação

spot_img