Em conversa telefônica, Lula e Kishida debatem questões climáticas, combate à pobreza e tratado de amizade Brasil-Japão

O Japão e o Brasil comprometeram-se, nesta quarta-feira, a trabalhar juntos para enfrentar os problemas das mudanças climáticas, da pobreza e da fome. O contato entre os dois líderes ocorreu através de um telefonema do premiê japonês ao mandatário brasileiro.

Lula expressou solidariedade ao povo japonês e em particular às vítimas dos terremotos do dia primeiro de janeiro. Relembrou que, no próximo ano, Brasil e Japão completam 130 anos de relações diplomáticas. Concordou que ambos os países continuem a trabalhar pelo fortalecimento da parceira estratégica e pelo aumento do comércio bilateral.

Os dois líderes falaram também sobre a defesa da paz e da superação dos conflitos em andamento no mundo. Concordaram sobre a importância do fortalecimento das instâncias multilaterais para que guerras como a de Gaza e a da Ucrânia não venham a se repetir.

Na conversa telefônica, Lula e Kishida abordaram o impulsionamento nas relações econômicas, incluindo a facilitação de investimentos do Japão no Brasil. “Japão e Brasil são parceiros globais estratégicos que compartilham valores fundamentais”, disse Kishida a Lula, de acordo com o Ministério das Relações Exteriores do Japão, prometendo cooperar para o sucesso da cúpula do G20 marcada para novembro no Rio de Janeiro.

Os países do “Grupo dos Quatro” – Brasil, Alemanha, Índia e Japão – há muito que procuram tornar-se membros permanentes do conselho de 15 membros. Os seus atuais cinco assentos permanentes são ocupados pelos Estados Unidos, Grã-Bretanha, China, França e Rússia.

Kishida inicialmente planejava visitar o Brasil neste mês, mas cancelou a viagem em meio a turbulências políticas e ao terremoto que atingiu o arquipélago no primeiro dia de 2023.

spot_img

Relacionados

Destaques da Redação

spot_img