Daruma: a jornada da determinação e sucesso 

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

O Daruma, também conhecido como Dharma, é um amuleto tradicional japonês que simboliza perseverança e sorte. Sua origem remonta ao monge Bodhidharma, considerado o fundador do Zen Budismo. 

A lenda conta que Bodhidharma meditou por nove anos sem se mover, o que levou à atrofia de seus membros, e após adormecer durante a meditação, cortou suas pálpebras para evitar dormir novamente. Essa história de determinação é a base do design do Daruma, com formato arredondado e estável representando a determinação e a capacidade de se reerguer frente aos desafios, inspirando o provérbio japonês “Nanakorobi yaoki“, que significa “caia sete vezes e levante-se oito”. 

A comercialização do Daruma começou no século XVII, em Takasaki, na província de Gunma, por fazendeiros que buscavam boa sorte para a colheita de seda. O tradicional Daruma vermelho é frequentemente associado à proteção e à força, mas com o tempo, outras cores foram adicionadas, cada uma com seu significado específico: o branco é associado à harmonia e paz, além de ser usado para êxito nas metas; o amarelo à riqueza e prosperidade; o preto aos negócios e sucesso profissional; o verde à saúde e longevidade; e, por fim, o rosa ao amor e romance.

A forma de usar um Daruma é muito simples. Ao adquiri-lo, seus olhos estarão em branco. Após definir um objetivo ou meta, pinta-se o olho esquerdo mentalizando fortemente o que quer para simbolizar o comprometimento com esse desejo. O Daruma é então colocado em um local visível como lembrete constante da aspiração.

Uma vez que o objetivo é atingido, pinta-se o olho direito como forma de agradecimento e celebração do sucesso alcançado. Este ritual enfatiza a importância da ação e do empenho na realização dos próprios objetivos e o Daruma é um lembrete constante da jornada em busca de metas e sonhos.

No Japão, os Daruma são particularmente utilizados durante o Ano Novo, quando são vendidos em feiras e festivais religiosos. É um período em que as pessoas estabelecem novas metas e desejos para o ano que se inicia. Além disso, os estudantes os usam durante os exames vestibulares, e candidatos em eleições os adotam buscando sucesso. 

E o que devemos fazer com o Daruma após a realização do desejo? No Japão, é comum que os Daruma sejam levados de volta ao templo onde foram adquiridos após o cumprimento do desejo ou no final do ano. Em alguns templos, é realizada uma cerimônia chamada Dondo Yaki (どんど焼き), uma fogueira tradicional feita logo após o Ano Novo, onde se queimam os enfeites e demais amuletos, entre eles o Daruma. A queima simboliza a gratidão e a renovação de compromissos e esperanças para o novo ano. É uma forma de agradecer ao Daruma pelo trabalho realizado e de liberar o proprietário para estabelecer novas metas. Para quem está fora do Japão, é recomendável fazer isso de maneira que respeite a cultura e o propósito do amuleto. Você pode queimá-lo de forma segura, enterrá-lo ou colocá-lo em um local de descanso natural, sempre com uma atitude de agradecimento. Lembre-se de que o mais importante é o simbolismo do gesto, que é reconhecer e agradecer pela jornada e pelo apoio que o Daruma proporcionou.

Vamos aprender a dizer o que desejamos em japonês para mentalizar nosso pedido!

spot_img

Relacionados

Destaques da Redação

spot_img