J-League: 3 curiosidades por trás do futebol japonês

No mundo do futebol, existem várias ligas conhecidas e admiradas pelos amantes do esporte. Uma delas, que tem despertado uma curiosidade crescente nos últimos anos é a J-League, a liga profissional de futebol do Japão. Com um histórico único e uma paixão inabalável dos fãs, a J-League tem se destacado como uma competição fascinante, oferecendo uma experiência única tanto dentro como fora dos gramados.

Hoje iremos apresentar algumas curiosidades dessa liga que vem se destacando e conquistando os fãs nos últimos anos.

1. Os jogadores brasileiros na J-league

Muitos jogadores brasileiros já tiveram suas participações na J-league. Na temporada de 2020, ultrapassaram de 100 jogadores e na temporada de 2021, a FC Tokyo contratou o jogador da ex-seleção brasileira, Bruno Uvini, enquanto a Yokohama F. Marinos contratou Elber de Bahia e Leo Ceara de Vitória.

Uma das grandes razões pelas quais tantos jogadores brasileiros jogam na J-league é investimento financeiro dos clubes japoneses. Investindo consideravelmente na contratação de jogadores estrangeiros, especialmente brasileiros, os clubes japoneses o fazem devido à a reputação de suas técnicas, criatividades e paixão pelo futebol. Esses jogadores muitas vezes são vistos como ativos valiosos que podem melhorar a qualidade do jogo e atrair mais torcedores para as partidas.

Os jogadores da seleção brasileira que receberam destaque na J-league

Zico

Não só na seleção, mas na J-league também foi considerado um grande reforço. Conhecido como fundador da J-league, teve grande participação no Kashima Antlers e atuou como técnico da seleção japonesa na Copa do Mundo na Alemanha em 2006.

Leonardo Araújo

Jogou no Kashima Antlers também, e ganhou enorme popularidade entre as mulheres. Ele cativou os torcedores com o seu gol artístico, sendo considerado o gol mais bonito da história da J-league, e seus jogos com pés.

Dunga

Em 1994, teve papel como capitão na seleção, sendo campeão na Copa do Mundo. Deu a alma ao jogar no Júbilo Iwata e a forma de jogar impactou as torcidas do Japão.

Washington

Um atacante absoluto que contribuiu para o primeiro título da J-league para o Urawa Reds, sendo um grande artilheiro. É um jogador fundamental no ataque do Urawa, destacando no jogo aéreo, usando o seu físico como vantagem.

Jogador da seleção da copa do mundo de 2014 e um dos responsáveis que marcaram o gol contra a seleção japonesa na copa da confederação de 2013.

Em 2018, ele se transferiu para Nagoya Grampus, que estava na crise e marcou 24 gols, sendo artilheiro da J-league.

Hulk

Jogador que se destacou na J-league e foi ao mundo. Após ter destaque na liga japonesa, foi ao Porto FC de Portugal e na temporada de 2010-2011 registrando 23 gols e 13 assistências em 26 jogos, tornando o artilheiro.

Thiago Neves

Jogou pela Vegalta Sendai aos 21 anos, e também atuou como atacante da seleção brasileira. Infelizmente na J-league marcou apenas 8 gols em 35 jogos, mas após retornar ao Brasil, recebeu destaque no Fluminense e no Flamengo.

Fábio Santos

O zagueiro que teve destaque na Kashima Antlers. Na Copa do Mundo de Clubes da FIFA 2012, jogou pelo Corinthians e derrotou a Chelsea, o campeão da época da Liga dos Campeões UEFA, e conquistou o mundial pelo clube.

2. Técnicos Brasileiros da J-league

Existem também alguns técnicos brasileiros na J-League. Ao longo dos anos, vários treinadores brasileiros têm sido contratados por clubes japoneses para liderar suas equipes.

Levir Culpi

Levir Culpi é um renomado treinador brasileiro que já passou por diversos clubes no Brasil e também teve uma experiência na J-League. Ele treinou o Cerezo Osaka e o Kashima Antlers, entre 2013 e 2016, obtendo bons resultados durante sua passagem.

Nelsinho Baptista

Nelsinho Baptista é outro técnico brasileiro de destaque com experiência na J-League. Ele teve uma longa carreira no futebol japonês, treinando equipes como Kashiwa Reysol, Nagoya Grampus e Vissel Kobe, conquistando títulos importantes.

Oswaldo de Oliveira

Oswaldo de Oliveira é um treinador brasileiro que também teve passagens pela J-League. Ele treinou o Kashima Antlers, Yokohama F. Marinos e Urawa Red Diamonds, conquistando títulos, incluindo a Liga dos Campeões da AFC com o Urawa Red Diamonds em 2017.

3. Grêmio Japonês

No Japão tem um time com logo muito parecido com Grêmio e ele é conhecido como time irmão do time gaúcho, o Kawasaki Frontale. Para se preparar para o campeonato japonês, em 1997 o Kawasaki Frontale veio ao Brasil para realizar intercâmbio com o time campeão do campeonato brasileiro 1996. Aproveitou para pegar direito de uso o design do uniforme.

Nesse intercâmbio, os dois times entraram em acordo para que o Grêmio ajudasse no planejamento para melhorar o time e crescer dentro da J-league. Fora isso enviou alguns reforços para ajudar o time parceiro, e foi enviado José Márcio Ramirez Barreto (Atacante), Rafael Felipe Scheidt (Zagueiro) e Zeca (treinador de goleiro).

Além de enviar reforços, o Grêmio aceitou receber alguns jogadores jovens anualmente do Kawasaki, para treinarem com os demais jogadores, e participar do campeonato estadual e nacionais.

spot_img

Relacionados

Destaques da Redação

spot_img