Com declínio na taxa de natalidade, governo aumentará orçamento para cuidados infantis

Cada vez mais raro, cenas de mães com filhos pequenos é objetivo para os próximos anos – Pixabay

Japão tem uma das populações mais velhas do mundo, fato que preocupa legisladores

O primeiro-ministro Fumio Kishida instruiu seus ministros, nesta semana, a aumentar o orçamento anual de cuidados infantis do Japão em cerca de 3,5 trilhões de ienes (US$ 25 bilhões) durante um período de três anos. A intenção é lidar com o declínio da taxa de natalidade.

O valor marca um aumento em relação aos cerca de 3 trilhões de ienes sugeridos anteriormente para apoio a cuidados infantis a partir do ano fiscal de 2024. Para garantir parte do financiamento, o governo emitirá títulos-ponte até decidir sobre uma fonte de financiamento alternativa e estável até o ano fiscal de 2028.
O ministro da revitalização econômica, Shigeyuki Goto, disse a repórteres depois de visitar Kishida em seu escritório que foi instruído pelo primeiro-ministro a aumentar o financiamento para combater a pobreza e o abuso infantil, bem como aumentar o apoio a crianças com deficiência e aquelas que precisam de cuidados médicos constantes.

Para o atual ano fiscal de abril, cerca de 4,8 trilhões de ienes foram alocados para uma agência recém-lançada que trata de questões relacionadas a crianças e famílias. Em um futuro próximo, o governo pretende dobrar seus gastos com políticas infantis.

O Japão tem uma das populações de envelhecimento mais rápido do mundo, com recém-nascidos caindo para menos de 800.000 no ano passado pela primeira vez desde que dados comparáveis ​​foram disponibilizados em 1899. Como o país já está fortemente endividado, encontrar uma fonte de financiamento é um desafio se quiser aumentar os gastos.

De acordo com o projeto de plano, o governo realizará reformas de gastos até o ano fiscal de 2028 para evitar encargos adicionais suportados pelos contribuintes. Prevê a criação de um regime de fundos de apoio para o qual as empresas e outras entidades vão contribuir para dinamizar a assistência à infância.

Entre as opções sugeridas pelo governo estão aumentar os prêmios do seguro social e pedir mais contribuições por empresas que atualmente são usadas para fornecer mesadas e outros tipos de apoio. O orçamento do estado do Japão vem se expandindo, com os custos da previdência social representando uma grande parte dos gastos.

spot_img

Relacionados

Destaques da Redação

spot_img