Centro de Chado Urasenke do Brasil realiza ‘primeira cerimônia de chá do ano’

Shoichi Hayashi durante a primeira cerimônia de chá do ano do Centro de Chado Urasenke – Aldo Shiguti

Como parte da programação do evento “As Artes do Ano-Novo no Japão”, o Centro de Chado Urasenke do Brasil realizou no último dia 20, no Espaço Cultural Bunkyo, a primeira cerimônia de chá do ano (Hatsudate). Chamada ‘Daisutemae’ (onde Daisu = estante negra e Temae = cerimônia), é uma das mais antigas – existe há mais de 500 anos. Segundo praticantes, trata-se de uma cerimônia considerada nobre cujo intuito é fazer com que as pessoas apreciem todas as artes.

Para a composição do cenário, foram usados elementos como o fogo, a água e a cerâmica, além de uma estante negra.

Senseis de Ikebana – Iumi Takeda

Presentes também o carvão e os caquis secos. Na caligrafia um matsu bem grande pois matsu é uma planta que para os japoneses tem um significado muito importante: mesmo vivendo 100 anos o matsu está sempre verde. Também foram usados objetos e peças representando os jogos e brincadeiras típicos do ano novo.

Trata-se também de uma oportunidade rara de assistir uma demonstração  do mestre Shoichi Hayashi. Este ano, como novidade, o Centro de Chado Urasenke do Brasil se juntou ao Godantai – grupo que reúne as cinco principais entidades nipo-brasileiras (Bunkyo, Enkyo, Câmara de Comércio e Indústria Japonesa do Brasil, Aliança Cultural Brasil-Japão e Kenren) e com a Associação Ikebana do Brasil, Associação Aikoukai de Caligrafia do Brasil, Comissão Gastronomia Japonesa Bunkyo e Comissão Arte Koguei Bunkyo com intuito de transmitir ao público brasileiro algumas das tradições japonesas que se realizam no Ano Novo.

Dentre essas tradições, o Hatsuike (primeiro arranjo de ikebana do ano) e o kakizome (primeira caligrafia do ano).

Estiveram presentes a cônsul geral adjunta, Chiho Komuro; a representante sênior da Jica (Japan International Agency Cooperation), Reiko Kawamura; o presidente do Conselho Deliberativo do Bunkyo, Jorge Yamashita; o jurista Kiyoshi Harada; o presidente da União Cultural e Esportiva Sudoeste, Silvio Furukawa; o presidente da Kenren, Toshio Ichikawa e o presidente da Fundação Kunito Miyasaka, Roberto Nishio, entre outros.

As Artes do Ano-Novo no Japão prosseguiu no domingo (21).

(Aldo Shiguti)

spot_img

Relacionados

Destaques da Redação

spot_img