Campanha social com fotos de oniguiri resulta em milhões de refeições na África e Ásia

Post de bolinho de arroz reverte um valor para combater a fome em Ruanda, Quênia, Tanzânia e Filipinas

Não causa surpresa nas redes sociais japonesas as fotos de oniguiri (bolinhos de arroz tradicionais no Japão). São milhares de posts diariamente, de diferentes formatos e cores. Mas, um olhar minucioso mostra que diversas dessas imagens fazem parte de uma campanha solidária que ajuda a combater a fome em países africanos e asiáticos.

Lançada em 2015 pela Table for Two International (TFT), uma organização japonesa sem fins lucrativos, a campanha “Onigiri Action” incentiva usuários a postarem imagens da iguaria japonesa. Em troca, entidades e empresas apoiadoras do projeto doam 100 ienes (cerca de R$ 3,60) por publicação, valor que é convertido para a produção de refeições escolares.

Campanha mobilizou alunos de escolas em vários países

No total, as postagens resultaram em cerca de 6,8 milhões de refeições escolares para crianças africanas e asiáticas necessitadas, especificamente em Ruanda, Quênia, Tanzânia e Filipinas. Neste ano a campanha foi até o dia 6 de novembro, reunindo um recorde de 37 entidades apoiadoras, incluindo gigantes como a operadora de lojas de conveniência Seven-Eleven Japan, além de órgãos públicos locais, caso do governo da província de Miyagi, no nordeste do Japão.

“Estamos ansiosos para unir nossos esforços para resolver questões sociais”, disse o diretor executivo da Seven-Eleven Japan, Seiichi Aoyama, que vendeu cerca de dois bilhões de oniguiri no ano passado. “Através do onigiri, esperamos ajudar a alcançar uma das ODS (Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU), que é a fome zero”, concluiu.

A TFT comemorou o sucesso da campanha, pois a aderência por parte de pessoas dentro e fora do Japão foi grande. A abrangência foi rápida, pois usuários contribuíam na ação facilmente, simplesmente postando fotos em mídias sociais como o Twitter, com a hashtag “#OnigiriAction”.

As refeições destinadas a alunos de escolas públicas na África e Ásia tem surtido um efeito positivo. Mais crianças nas áreas atendidas agora vão com frequência à escola, além do desempenho escolar estar em ascensão.

Para a campanha deste ano, a entidade estabeleceu a meta de fornecer 1,6 milhão de merenda escolar, o maior número desde seu lançamento e equivalente a merenda escolar anual para 8.000 crianças.

No Japão, adesão de pessoas tanto no físico quanto no digital resultaram em alto engajamento

Ecossistema em evolução – A ação social também trouxe benefícios à comunidade em torno das escolas participantes. Como as refeições são produzidas localmente, os agricultores locais que fornecem matéria-prima melhoraram sua produtividade. Um alívio para todo um ecossistema que sofreu após o início da pandemia, quando muitas escolas fecharam e o número de crianças diagnosticadas com deficiências nutricionais aumentou acentuadamente.  Nesses locais, a merenda escolar era a refeição mais nutritiva do dia para muitas delas.

Apesar da flexibilização com a diminuição nos casos de Covid-19, os problemas de fome permanecem graves em todo o mundo. De acordo com a ONU (Organização das Nações Unidas), o número de pessoas afetadas pela fome atingiu 828 milhões em todo o mundo em 2021, um aumento de 150 milhões desde o início da pandemia.

Além disso, os aumentos nos preços dos alimentos desencadeados pela invasão da Ucrânia pela Rússia também estão afetando os esforços para combater a desnutrição, tornando mais difícil alcançar a “fome zero”, um dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU, que devem ser cumpridos até 2030.

Onigiri Action
spot_img

Relacionados

Destaques da Redação

spot_img