Câmara Municipal de São Vicente homenageia prefeito e presidente da Assembleia de Naha

Adilson da Farmácia, prefeito Kayo Amado, Jhony Sasaki, prefeito de Naha, Satoru Chinen, presidente da Assembleia, Yoshitaka Nohara e o cônsul Ryosuke Kuwana

No clima de “Ichariba Choode” (provérbio de Okinawa que significa “A partir do momento em que nos encontramos, somos como irmãos”), a Câmara Municipal de São Vicente, no Baixada Santista, realizou, nesta segunda-feira (24), Sessão Solene em que homenageou com a entrega dos Títulos de Cidadão Vicentino a Satoru Chinen e Yoshitaka Nohara, respectivamente, prefeito e presidente da Assembleia da cidade de Naha, no Japão, ambos pela bem-sucedida trajetória no serviço público e pela busca em preservar os laços interculturais e profissionais com o Brasil e a cidade de São Vicente.

Iniciativa do vereador Jhony Sasaki, a solenidade serviu também para celebrar o 45º aniversário do Tratado de Cidades-Irmãs Naha-São Vicente, assinado em agosto de 1978, e os 115 Anos da Imigração Japonesa no Brasil. 

O Plenário da Câmara ficou lotado, em uma de suas mais concorridas sessões. Estiveram presentes vereadores, secretários municipais e representantes de entidades e associações nikkeis, entre eles Renato Ishikawa (presidente do Bunkyo – Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e de Assistência Social) e os ex-deputados federais Keiko Ota e Koyu Iha (idealizador do convênio), entre outros.

Os homenageados, Satoru Chinen e Yoshitaka Nohara

Educação – A Mesa foi composta pelo presidente da Casa, Adilson da Farmácia; pelo prefeito de São Vicente, Kayo Amado; pelo cônsul geral do Japão em São Paulo, Ryosuke Kuwana, e pelos homenageados, além do proponente. Jhony Sasaki, aliás, lembrou que Ryosuke Kuwana “foi o primeiro cônsul a participar de uma sessão solene na Câmara Municipal de São Vicente, a primeira das Américas”.

Após as execuções dos hinos das cidades de Naha e São Vicente e do Japão e do Brasil, Jhony Sasaki abriu a sessão lembrando que, desde a assinatura do convênio, “muitos laços se criaram e se mantém vivos até hoje”. “Um deles é na área da Educação, em que São Vicente foi beneficiada com a criação de duas escolas na cidade”, destacou, acrescentando que, “para mim, o simbolismo toma outra proporção pelo meu laço de ancestralidade que tenho com esse povo e pela minha história de vida que está intimamente ligada ao Japão”.

Jhony Sasaki, proponente da homenagem conexão única

Compromissos – Em seu discurso, o cônsul disse estar confiante que a visita da comitiva japonesa “abrirá caminhos para uma cooperação ainda maior entre Naha e São Vicente”. “Muito além de lembrar os ricos e profundos laços que nos conectam, a celebração do aniversário da imigração japonesa e de irmanamento entre essas duas cidades simbolizam nossos compromissos conjuntos de fortalecer ainda mais a cooperação para construirmos um futuro melhor para os povos brasileiro e japonês”, afirmou Kumawa. 

Conexões – Já o prefeito Kayo Amado explicou que “é através desta parceria que podemos realizar importantes troca de cultura, experiências e pensamentos”. “Tenho certeza que dos dois lados dessa irmandade há um só objetivo: fazer o melhor, todos os dias, para as pessoas das nossas cidades”, disse o prefeito, que destacou as semelhanças e conexões entre São Vicente e Naha.

“Naha tem uma populacional de mais de 320 mil habitantes, São Vicente tem 330 mil habitantes. Na perspectiva histórica e política, Naha é a capital da província de Okinawa e foi o centro político do Reino de Ryukyu, São Vicente tem a primeira Câmara Municipal das Américas. No campo econômico, Naha é reconhecida como um importante centro comercial; São Vicente tem o comércio mais forte da região sendo premiada como um dos principais destinos para o turismo de compras do Estado de São Paulo. A economia de Naha também é fundamentada pelo turismo e aqui a beleza natural de São Vicente nos traz essa vocação e potencial”, assegurou o prefeito.

Apelo histórico – Segundo o chefe do executivo, “Naha tem um forte apelo histórico com grande riqueza arqueológica e São Vicente tem uma história que todo mundo precisa conhecer: seremos a primeira cidade do Brasil a completar 500 anos em 2032”. E concluiu sua fala afirmando que as duas cidades podem compartilhar muitas experiências.

Ao Nippon Já o prefeito disse que é uma “honra manter este legado do ex-prefeito Koyu Iha poder dar a sequência nesse irmanamento entre as duas cidades”. “`Para gente é muito especial. É uma troca de saberes, de cultura, de conhecimento e de intercâmbio de professores que já foram e voltaram”, comentou, revelando que conhece o Japão “apenas pela Internet”. “Ainda não tive oportunidade de conhecer mas gostaria muito de conhecer, principalmente, as dinâmicas de turismo e economia, que são áreas que nos interessam muito”, disse Kayo Amado.

500 anos – Deputado federal por três mandatos, além de ex-deputado estadual e ex-prefeito de São Vicente, Koyu Iha lembrou que é a primeira vez que se comemora oficialmente o aniversário do tratado de cidades-irmãs. Ele fez questão de destacar que, dos 28 servidores públicos que foram estagiar no Japão, apenas um era descendente de japoneses. E, desde já conclamou a sociedade brasileira para participar das celebrações dos 500 anos de São Vicente. 

Presente na cerimônia, o presidente do Bunkyo também destacou a importância do convênio afirmando que as duas cidades têm muito a compartilhar. “O Japão, sabidamente, é o berço da tecnologia e tem muito a nos ensinar, mas o Brasil também tem muito a oferecer aos japoneses” Renato Ishikawa.

Agradecimento – Em seu discurso de agradecimento, o prefeito de Naha observou que o intercâmbio envolvendo servidores públicos entre as duas cidades teve início logo após a assinatura do convênio entre os então prefeitos Koyu Iha, de São Vicente, e Maeda, de Naha. Ele afirmou que é extremamente grato pelos laços que se formaram desde então e agradeceu, em especial, o ex-funcionário da Prefeitura e ex-engenheiro, Seitetsu Iha, que por um longo período serviu como intérprete em Naha. “Fiquei feliz por sua memória”, disse Chinen, acrescentando que reza para que os laços entre Naha e São Vicente se fortaleçam cada vez mais.

Belezas – Já o presidente da Assembleia da cidade de Naha, Yoshitaka Nohara, arrancou risos dos convidados ao brincar que faria um discurso curto pois estava com fome. E comentou que era da mesma cidade dos músicos da Banda Begin, cuja música servia de trilha para a solenidade. Disse que estava emocionado por receber o título de Cidadão Vicentino e lembrou que os pioneiros enfrentaram muitas dificuldades. 

“Espero que o intercâmbio entre as duas cidades nas áreas de cultura, turismo e esporte se fortaleçam cada vez mais”, disse ele, que concluiu sua fala afirmando que conheceu pontos turísticos “incríveis” e quando retornar a Okinawa pretende transmitir para a população de Naha “o quanto é bela a cidade de São Vicente”.

Impacto – Proponente da homenagem, Jhony Sasaki explicou que, “a partir deste convênio, uma emocionante colaboração surgiu, envolvendo profissionais das áreas de Educação, Turismo e Engenharia, que ansiavam por um intercâmbio enriquecedor”. “Assim, profissionais talentosos de Naha começaram a desembarcar em São Vicente, sedentos  por conhecimento e ansiosos por trocar experiências valiosas com seus pares vicentinos, que, por sua vez, partiam rumo à encantadora cidade de Naha com o intuito  de mergulhar em uma nova cultura, absorver saberes transformadores e compartilhar informações valiosas”. 

Segundo Sasaki, a assinatura do convênio deu origem a laços duradouros e significativos entre as duas cidades, “deixando um impacto profundo, especialmente na área da Educação”, disse o vereador, que citou, como exemplo, a construção da Escola Municipal de Educação Infantil (Emei) ‘Cidade de Naha’, que acolhe mais de 230 crianças, e a Emei ‘Província de Okinawa’, que atende mais de 380 alunos. Ele destacou ainda a contribuição de líderes, grupos e instituições que colaboraram para manter vivo os laços entre as duas cidades até os dias atuais. 

O ex-prefeito Koyu Iha, idealizador do convênio de irmandade

Inspiração – “Essa conexão única e profunda que une Brasil e Japão, São Vicente e Naha, é verdadeiro tesouro que deve ser valorizado e cultivado”, disse Sasaki. “Que esta oportunidade de estar juntos seja apena o começo de uma jornada ainda mais profunda e significativa. Que possamos continuar fortalecendo esta amizade, compartilhando conhecimentos, experiências e valores que enriquecem nossas vidas. Que a união entre nossas cidades inspire outras nações a construir laços de amizade e cooperação, promovendo um mundo mais conectado e harmonioso”, finalizou o vereador.

(Aldo Shiguti)

spot_img

Relacionados

Destaques da Redação

spot_img