Brasil Game Show 2023 se consagra com a vinda da SEGA ao Brasil

BGS 2023 – Giuliano Peccilli

Consolidada em São Paulo, o evento Brasil Game Show retornou ao Expo Center Norte em outubro, numa edição repleta de novidades. Trazendo ausências sentidas, o evento se renova, destacando a presença ainda maior de eSports, influencers, além da SEGA fazendo sua estreia no país.

Com mais de 200 marcas, um estande gigantesco da Samsung, a presença de Taiwan Excellence, além de lojas brasileiras como KaBum! e a Kalunga, o evento vem com o objetivo de trazer as novidades, sendo o maior do segmento na América Latina.

SEGA sem Tectoy

Sega – Giuliano Peccilli

Conhecida no Brasil numa parceria histórica com a Tectoy, a SEGA chega ao evento para apresentar os seus próximos lançamentos no mercado internacional. Sem vínculos com a empresa brasileira, a SEGA esteve no Brasil Game Show para apresentar os títulos: Sonic Superstars, Persona 3 Reload, Persona 5 Tactica, Like a Dragon Gaiden: The Man Who Erased His Name, Like a Dragon: Infinite Wealth e ENDLESS Dungeon.

Na véspera do evento começar, a SEGA anunciou que os cinco jogos serão lançados em português brasileiro no Brasil.

Trazendo um estande enorme, a empresa separou meio a meio com a ATLUS, destacando os jogos da série Persona. A empresa faz parte da SEGA e tem grandes fãs no Brasil pelos seus títulos de RPG.

Além disso, o estande tinha algumas ações, como tirar foto com cenário clássico do Sonic, além de poder tirar foto no cenário dos jogos ‘Like a Dragon’ (anteriormente conhecido como Yakuza no ocidente).

Nintendo

Nintendo – Giuliano Peccilli

Trazendo pela primeira vez ao Brasil, um título antes do lançamento com ‘Super Mario Wonder’, a Nintendo esteve presente com um enorme estande. Diferente da SEGA, a Nintendo tem uma filosofia contrária, apostando em marcas da empresa, focando num jogador que ainda não tenha o Nintendo Switch. Por isso, boa parte dos títulos à disposição não são lançamentos, porém fazem parte das principais franquias da empresa.

Utilizando todos os espaços de seu estande, a empresa aumentou a área de jogos brasileiros no Nintendo Switch. Deixando na parte externa, a quantidade de consoles e títulos eram bem superiores, quando comparados com a edição de 2022.

No palco principal, a bola da vez foi o Just Dance 2023 da Ubisoft, atraindo dançarinos de plantão. Algo que normalmente está presente em diversos palcos do evento, aqui se limitou no palco principal da Nintendo.

Samsung

Samsung – Giuliano Peccilli

A empresa sul-coreana estava presente com um enorme estande, que lembrava os da Playstation dos últimos anos. Focada em apresentar suas novas televisões OLED, focada do público gamer, a marca também é conhecida por uma parceria com empresas de jogos em nuvem, como Game Passa do Xbox/Microsoft, que permite jogar os jogos do console em streaming de forma nativa nas televisões da marca.

A presença da marca do evento, demonstra um avanço da empresa com público gamer, mostrando um esforço nos últimos anos para conquistar essa parcela do público.

TCL, a antiga Semp Toshiba

Outra empresa conhecida pelos fãs de marcas japonesas é a TCL que outrora era uma parceria chamada de Semp Toshiba. Atualmente com a chinesa TCL, a empresa esteve presente no evento, além de patrocinando o Meet & Greet com artistas internacionais, a empresa trouxe sua linha de televisores mais recente no mercado.

Sonic e Mario são os grandes destaques deste ano

Sendo lançados quase que juntos, os jogos Sonic Superstars e Super Mario Bros. Wonder foram as grandes estrelas deste ano. 

Concorrentes de outrora, quando Nintendo e SEGA quando concorrentes nos consoles, o personagem Sonic está disponível para diversos consoles, inclusive o Nintendo Switch. Já  o novo jogo do Mario segue exclusivo nos consoles da Nintendo.

Ambos plataforma, Mario e Sonic retornam ao estilo clássico de jogo 2D (atualmente em 2.5D) que se consagraram nos videogames. Enquanto Mario ousa um pouco mais ao visitar um novo reino e ganhando poderes de elefante, o Sonic opta por um jogo mais seguro trazendo o retorno de um de seus criadores.

Seja um ou outro, ambos trazem diversão e boas horas de jogatina, demonstrando isso nas filas do público para experimentar esses dois novos jogos.

Sobre o Brasil Game Show

Tendo edições que as três principais concorrentes de console estiveram lado a lado, a edição deste ano fez falta as ausências do Xbox e do Playstation. Ao mesmo tempo, o evento se reinventou focando em tecnologia, produtos gamers, focando em grandes empresas de tecnologia, como HyperX, Razer, Samsung, LG, o que fez que o foco de jogos de lançamento mudassem um pouco para o público final.

Mesmo estandes como Banco do Brasil trouxe um enorme potencial e diversão, ao trazer diversas atividades, como uma esteira que simulava as praias do Rio de Janeiro aos jogadores. Esse tipo de experiência preenche e traz uma nova visão do potencial que o Brasil Game Show tem no nosso país.

Além disso, o evento trouxe Videogame Orchestra e Sonic Symphony pelo segundo ano consecutivo, reforçando um compromisso de trazer artistas musicais dos games.Isso sem contar a presença de Takashi Iizuka, criador do Sonic, e do  Alexey Pajitnov, criador do Tetris, ao Brasil. Também não podemos deixar de mencionar a vinda de Naoki Yoshida e o Koji Fox da Square Enix, que também passaram pela edição deste ano. O que reforça compromisso com o público gamer mais antigo e torna o evento ainda mais atrativo pelas palestras que atravessaram os cinco dias de feira.

Trazendo uma área business para grandes empresas, além de uma área indie, o Brasil Game Show conseguiu conversar com diferentes interesses entre gamers, tornando referência e o melhor evento do segmento em nosso país.

spot_img

Relacionados

Destaques da Redação

spot_img